Ties and the wedding photography

THE IMPORTANCE OF THE FAMILY TIES
Passed some years since the day when I was married. I will not write about this and not about the fulfilled days after that started that day. Is not the subject of this site, well , not about me.

However for some years I made my professional life as a photographer. I was, at first, just a curious person about the mysteries of the dark room of the black and withe photography, but ,with the passing time, it had become the economic support of me and my family.

Because of that I photographed along the years such quantity of drinking bottles, shampoo cases, machinery and loads of stuff that needed to be photographed for advertising campaigns. However, I only had those goosebumps, in the act of taking photos,  when I was with my dear friends Anselmo and Anabela photographing fashion models to Naia catalog.

Sometimes there are some moments in our life that change everything. One day, I was asked to photograph a wedding day from a friend of a friend and well I don’t know I have no experience but it is not important we would like you to do the photos well I will but if you do not like the result just do not pay. But the important thing was that, during the wedding cover, those goosebumps arrived with such intensity that I decided to forget the shampoo bottles  and start to photograph what make me alive when doing it: people.

But people in action, interactions with another, with the emotions in the heart and eyes because they are celebrating, they are gathering and specially, because they are in a celebration about the future, with all the good wishes surrounded from those they love. That is the wedding day.

Working as a wedding photographer aloud me to register to future memory a very important day, not only for the two people that are in the first day of this new ties, but also the effluvium of energy that surround them. So, coming to the end of the day and bring with me all the ties, that where bond to a lifetime, it is a privilege that I will not give to anybody. I want that only for me.

LAÇOS E A FOTOGRAFIA DE CASAMENTO

Faz já um bom par de anos que me casei. Não vou falar disso nem do tempo que, feliz, entretanto passou e consolidou esse dia. Não faz parte do tema do site.

No entanto durante muitos anos ocupei o meu lado profissional da vida trabalhando como fotógrafo. Como era hábito em Portugal fui um dos muitos profissionais autodidactas que, entre a curiosidade e um certo espírito de liberdade, teimavam em fazer depender de si próprios a sua existência e o seu, e da família, sustento.

Assim durante bastantes anos fotografei no meu estúdio muita garrafa de bebidas, frascos de shampoo, maquinetas de todo o género. No entanto só conseguia ter uns arrepios, daqueles que sentimos quando o que estamos a fazer toma conta de nós, quando ia com os meus amigos Anselmo e Anabela fotografar modelos para os catálogos da Naia, loja de roupa feminina em Lisboa, e para outros catálogos que, entretanto, já não existem.

Existem, depois, momentos na nossa vida que lhe dão uma volta e não mais as coisas ficam na mesma. Um dia fui fotografar o casamento de um amigo de um amigo. O raio daquele arrepio apareceu e com tal intensidade que decidi, e porque os tempos também estavam a mudar, esquecer os frascos e começar a fotografar aquilo que, de facto, me faz sentir vivo a trabalhar: pessoas.

Mas pessoas em interacção, pessoas em estado de mudança, de celebração, de convívio, de emoções à flor da pele e, fundamentalmente de grande esperança no futuro. E isso acontece nos casamentos.

Ser fotógrafo de casamento permite-me ter o privilégio de registar para memória futura dia de grande importância, não só para aquelas duas pessoas que se enlaçam mas, também, toda a emanação de energia que os rodeia. Chegar ao fim do dia e trazer comigo as fotos dos laços que se teceram para toda uma vida é um privilégio que não passo para ninguém. Quero-o só para mim.

Texto e Fotos: Fernando Colaço

Share This: