Fotografia com S. Francisco Xavier ao fundo

Uma das coisas com que parto, todos os dias de manhã, quando saio para mais um casamento é que vou ter que fazer tudo o que estiver ao meu alcance para garantir o trabalho fotográfico que servirá de memória ao dia, até ali, mais importante da vida de duas pessoas. Acreditem que é uma responsabilidade muito grande.

 Mais do que fazer fotografias que possam retratar esse evento tenho que ter a certeza que todos os meus passos e movimentos são dados no sentido de isso conseguir. Um movimento desregrado dentro da Igreja pode levar o padre de serviço a mandar acalmar e encostar à parede. Um barulho a mais por causa das máquinas fotográficas pode também, em cura mal disposto, levar a, pelo menos, restringir a procura de melhores ângulos. Nos caminhos de e para, um trânsito mal humorado pode atrasar a chegada a Igreja em local de primeira visita por ter feito caminho mais longo. Longe de mim ser a minha maior preocupação a tomada de fotografias. Essa é a parte natural.

 Vem isto a propósito por causa de uma das fotografias que fazem parte do post de hoje. São do casamento da Rita e do Carlos e a foto em questão é aquela do casal com a imagem de S. Francisco Xavier. Sabendo da importância afectiva da família do Carlos por este Santo eu tinha, assim que chegaram à Igreja, visto mentalmente uma fotografia obrigatória: o casal em primeiro plano com a estátua do Santo ao fundo. O grande problema é que para ter esse ângulo de toma tinha, sempre que tentava, o noivo completamente tapado pela Rita. Teria que ser uma questão de tentativa até ao resultado final. Não seria problema nenhum se antes não tivesse sido ” ensinado” por senhor prior, conhecedor da técnica fotográfica, que não fazia falta tirar tantas fotografias e que aí do fundo é que é bom para as fazer. Ora para conseguir essa foto eu teria que me ter feito um pouco surdo e não ter percebido tal avisado ensinamento e, volta que não volta, muito sorrateiro lá fui voltando até que o Carlos dá meio passinho em frente e eu estou lá e….pimpa, o Carlos recua novamente como se ficasse, na realidade, um com o seu amor jurado em frente ao altar. Mas eu fiz a fotografia.

 Felizmente fiz outras, antes e depois na Quinta do Vale em Santo Antão do Tojal e deixei-lhes história para mostrarem um dia. Sei que gostaram muito dela e que por si só não valeria o meu trabalho mas, para mim, é símbolo de perseverança e de saber que, por vezes, há que pisar, um pouco, o risco para ter valido a pena a confiança em mim depositada como o fotógrafo de casamento do dia. E isso farei tudo para honrar.

 Texto e Fotos: Fernando Colaço

0077

 

0108

 

0131

 

0141

 

0155

 

0195

 

0207

 

0308

 

0320

 

0356

 

0418

 

0670

 

0677

 

0704

 

0707

 

0719

 

0722

 

0759

 

0836

 

0860

 

0935

 

1061

 

1181

 

1200

 

1201

 

1205

 

1230

 

1337

 

1501

 

1532

 

1562

 

1565

 

1578

 

1589

 

1600

 

1611

 

1615

 

1632

 

1670

 

1801

 

1889

 

2000

 

2024

 

2061 - Version 2

 

2071

 

2095

 

2113 - Version 2

 

2147

 

2159

 

2162

 

2169

 

2184

 

2261

 

2366

 

2415

 

2475

 

2539

 

2608

 

2630

 

2746

 

2752

 

2924

 

2935

 

2936

 

2959

Share This:

Leave a Comment

  • (will not be published)

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.