Fotógrafos e Casamentos

No dia em que o casal decide marcar a data do seu casamento começa uma espécie de volta a França em bicicleta com difíceis subidas de montanha para dividir entre este e aquele serviço e autênticos contra-relógios para conseguir conciliar a tempo a vida do dia a dia , com trabalho e outros afazeres, e as reuniões com os diversos operadores para o que necessitam para esse dia.

Normalmente a primeira decisão a tomar é a data do casamento. Faz sentido porque é esta que define as prioridades para o que vem a seguir. A partir daqui a noiva  e o seu vestido começam uma grande caminhada para descoberta do seu, como se de príncipe encantado se tratasse. O local da comemoração será razão de grandes passeios até à sua escolha, por vezes conciliada com o local da cerimónia. Provavelmente já o bouquet foi escolhido antes da procura pelo fotógrafo de casamento que possa transformar todas as outras decisões em matéria de memória.

Ora as fotografias que resultarão do dia do casamento, além da maior ou menor capacidade do fotógrafo escolhido, são o resultado das outras decisões. Uma Igreja de outra pode fazer uma grande diferença em termos de captação estética e de aproveitamento fotográfico para um melhor resultado final. Uma quinta com uma bonita sala mas sem espaço à volta que permita aos fotógrafos, desejosos de aproveitar os casamentos para dar bom uso ao seu equipamento e sabedoria na execução, pode impedir um bom final, por exemplo, na sessão com o casal em fim de tarde abençoada por entardecer digno de filme romântico em Holywood de boa inspiração.

Note que o que a seguir vem é apenas a minha opinião pessoal mas baseada em experiência e estudo do assunto que, penso, todos os fotógrafos de casamentos apoiarão ou por acharem que é razoável ou por se verem demasiado importantes, talvez com um pouco de vaidade ou apenas porque gostam de servir bem, já que são eles que levam esse dia para todos os outros em forma de fotografias impressas em bonitos livros de papel, destinados a olhares de futuros historiadores familiares. Serve isto para, sem que pareça pretenciosismo, dizer que, se calhar, os fotógrafos de casamento podem aconselhar, não escolher por si, características que esses espaços possam ter para melhor servirem de cenário a esse filme de imagens paradas que em sequência contarão de forma mais bela possível tal acontecimento.

Fotógrafos e casamentos estão ligados de forma demasiado forte para que sejam os últimos a ser contactados no processo. Tenho a certeza que a nossa utilidade pode ser de uso, para os noivos, muito para além do nosso trabalho enquanto produtores de fotografias, também elas, de casamento. Em outros posts falarei de outros assuntos que, ultrapassando a toma de fotografias, possa ser de grande utilidade a opinião destes humildes servidores, os fotógrafos de casamento. Poderá ver aqui alguns destes conselhos.

Texto e Fotos: Fernando Colaço

1697

1741

1826

2039

AH1295

AH1763

0953

Share This:

Leave a Comment

  • (will not be published)

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.