Namorados e fotografia

Nesta altura qualquer fotógrafo de casamento passa alguma parte do seu tempo a rever o que fez no atrasado para planear o que virá. Nesse processo depara com trabalhos que o trabalho da época deixou já nos arquivos. Assim foi a sessão na Peninha, em Sintra, com a Isabel e do Renato.

Estava uma tarde daquelas que eu gosto para fotografar. O local, ás vezes difícil e zangado com tanto fotógrafo que o quer aproveitar, estava de feição, sem vento, sem frio e com aquela luz que faz correr máquinas fotográficas, e de filmar, atraídas por magias a levar para a cores e tons, a texturas e formas ou luzes passeadas entre árvores e líquenes, rochas e trepadeiras que atraem amantes do gosto de combinar tudo isso com o que podem e sabem fazer com as suas queridas câmaras e lentes e dar em fotografia.

Foi por tudo isso que lá fui e voltarei sempre que ventos, pouco amigos da arte de captar fotões brincalhões, em dia de descanso o permitam, porque todo o resto está sempre no ponto. Com sol ou sem ele, com nuvens ou nevoeiro, depois de chuva ou antes dela a Peninha será sempre cenário de fotógrafos de casamentos e de todos os outros.

Texto e fotos: Fernando Colaço

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Share This:

Leave a Comment

  • (will not be published)

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.