O calor do Alentejo na fotografia de um casamento

Era um daqueles dias quentes de Verão, e no Alentejo, mesmo no coração do mesmo. Como alentejano, não era daqueles dias que me fossem difíceis de aguentar e o trabalho começou, com o Helder, como dois alentejanos entendem as coisas do Verão no Alentejo. O Helder,  respeitando a tradição alentejana de fato preto e camisa branca completado pelo obrigatório chapéu, também ele preto, fez a sua primeira parte ritual do dia, a preparação seguida de viagem de moto, sua paixão, até ao local onde namorados se irão transformar em casados. Já lá vamos.

Dali o fotógrafo de casamento foi ter com a noiva, a linda Tânia com os seus dois bébes ainda confortáveis e fazendo tempo para uma visita ao nosso mundo de luz, que veio a acontecer mais tarde, como deveria: bem, bonitos e saudáveis. A Tânia junto dos pais e irmã com o acelerado comum às mulheres alentejanas ficou pronta num ápice embora o senhor oficiante a, nos, fizesse esperar por atraso do dito. Pouco depois atravessamos a bela Évora, com as suas lendas das mouras encantadas e cavaleiros valorosos até ao Convento do Espinheiro, local, também ele, de grandes histórias de pessoas e de história desta terra que faz de nós portugueses.

Lá dentro, nunca este fazedor de imagens em câmara fotográfica assistiu a tamanha rapidez em cerimónia de casamento. No entanto, gostador das coisas inusitadas reagiu a contento e memorizou tudo o que de bonito se passou como em qualquer outro lugar de ritual já até então executado e aproveitou espaço e gente como é normal nestas coisas.

Agora, como em dia quente e jantar a começar um pouco cedo, foi aproveitado o bonito interior do Convento para as fotos do casal onde noivo pouco à vontade com as coisas da fotografia se transformou em bom actor de filmes dos tempos do romantismo, de certeza porque não estava a representar e se soltou à vontade com o fotógrafo completamente inspirado pela sua musa.

Foi um lindo dia passado no Alentejo dos meus hábitos com o Helder, a Tânia, os gémeos que depois vieram, famílias e amigos. Por isso deixo o meu testemunho em fotografias por aqui abaixo. A eles agradeço e espero que gostem.

Texto e Fotos: Fernando Colaço

0002

0054

0082

0099

0111

0130

0217

0279 - Version 2

0336

0360

0377

0414

0415

0469

0528

0555

0561

0679

0692 - Version 2

0714

0777

0822

0848

0886

0904

0915

0937

0940

0945

0947

0952

0969 - Version 2

0970 - Version 2

0982

1041

1047

1073

1101

1113

1154

1188

1213

1240

1275

1300

1319

1322

1358

1394

1406

1434

1457

1464

1656

1709

1745

1949

1998

2150 (1)

2174

2303

Share This:

Leave a Comment

  • (will not be published)

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.