Um casamento na Quinta da Taipa

Estava uma manhã para fotógrafo de casamento. Como são as manhãs de fotógrafos de casamentos? Bem, normalmente, pelo menos para mim, não deve estar um céu completamente limpo para não fazer uma luz dura de grande contraste que não é muito bom para quem vai fotografar, fundamentalmente, caras. E caras num casamento são caras bem dispostas, sorridentes, caras de quem está em celebração e festa. Se tiver uma luz mais suave, ganha o fotógrafo e ganham os fotografados.

Assim nessa manhã de fotógrafo de casamentos comecei com um noivo como de estar noivo em dia passar a marido dentro de poucas horas. Eufórico. Nem vale a pena gastar vocábulos que as fotografias são mesmo para isso ou não faria sentido o fotógrafo lá estar. Ficamos por aqui.

Uns quilómetros depois lá estava a Quinta da Taipas, ali para os lados de Alenquer, debaixo daquela luz que este fotógrafo de casamento gosta. Sol, mas sol macio. A noiva rodeada, qual princesa, de suas aias, cada uma com a sua função onde começa a ser preparada para celebração que se quer para sempre na memória e no coração. Se algum detalhe escapa o fotógrafo de casamento garante.

Depois começou tudo.

É dada a ordem de começar. Entra noivo, esfuziante, espera pela noiva que vem logo de seguida, contida, para um sim daqui a pouco onde todos desejam, porque os amam, que sejam felizes para sempre. É assim que deve ser. O resto está nas fotografias. Como eu gosto.

Texto e fotos: Fernando Colaço

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Share This:

Leave a Comment

  • (will not be published)

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.